• en
  • es

Museu Nacional de Belas Artes – Patrimônio Nacional

Museu Nacional de Belas Artes – Patrimônio Nacional

Se você gosta de história da arte, temos o local perfeito para sua visita! Estamos falando do Museu Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro. Leia nosso texto e veja mais detalhes sobre esse importante espaço que abriga tantas obras.  

MUSEU NACIONAL DE BELAS ARTES

O Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) está localizado no centro do Rio de Janeiro, na Avenida Rio Branco. Ali próximos estão outros espaços de arte e história como o Theatro Municipal e a Biblioteca Nacional, na praça Cinelândia.

O museu possui o maior acervo de obras de arte do século XIX, ícone para o país.  

INFORMAÇÃO

Endereço: Avenida Rio Branco, 199 – Centro (Cinelândia) Rio de Janeiro 

Horário de funcionamento: de terça a sexta, das 10h às 18h; Sábados, domingos e feriados, das 12h às 17h. 

Telefone: (21) 3299-0600 

Ingressos: R$ 8,00 e meia: R$ 4,00 e ingresso família (para até 4 membros de uma mesma família) a R$ 8,00.  

Venda de ingressos e entrada de visitantes até 30 min antes do fechamento do Museu. 

Gratuito aos domingos 

Saiba mais sobre esses espaços e muitos outros locais históricos no Rio de Janeiro. Participe do nosso Walking Tour no Centro e Lapa. Encante-se ainda mais pela cidade maravilhosa.  

5-days-itinerary--Rio-de-Janeiro-Rio-Free-Walking-tour

OS PRIMEIROS PASSOS DO ESPAÇO

Ao contrário do que muitos imaginam, o atual MNBA na verdade não funcionava como museu. Mas como assim? Então, os primeiros passos da instituição foram através da chegada da família real portuguesa ao Brasil. Na fuga de Dom João VI, em 1808.  

O Dom João VI chegou ao Rio de Janeiro com muitas obras do seu acervo pessoal. Ao retornar a Portugal anos mais tarde, algumas das obras ficaram no Brasil. Em 1826, seu filho Dom Pedro I que já era o Imperador do Brasil, criou a Academia Imperial de Bela Artes.  

Ao passar dos anos a instituição passou a integrar seu acervo com outras peças, e montou uma considerável gliptoteca e pinacoteca. Ocorreu a Proclamação da República do Brasil, em novembro de 1889. Daí o espaço passou a ser chamado de Escola Nacional de Belas Artes (ENBA).

DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA NACIONAL DE BELAS ARTES

A escola de artes foi um dos projetos de urbanização do prefeito Pereira Passos, que ocorreu no início do século XX. O edifício da escola foi criado entre os anos 1906 e 1908, na avenida Central da cidade.  

Com a conclusão da obra, começou a funcionar no espaço a ENBA. As coleções e obras foram acomodadas nos seus diversos pavimentos e o espaço dedicado a pesquisa, estudo e aulas práticas funcionavam no segundo e quarto pisos.

Funcionando assim por mais de 20 anos. Até que em 1931 a ENBA foi incorporada à Universidade do Rio de Janeiro, na Ilha do Fundão. Toda a transferência do material durou alguns anos.  

DETALHE

Apesar da transferência da escola para outra parte da cidade, o espaço deixado pela escola foi ocupado pela Fundação Nacional de Artes (FUNARTE) até 1990.  

SEPARAÇÃO DO ACERVO

O acervo artístico era comum das duas instituições, escola e museu. Com a separação das instituições ele também foi dividido. No entanto, a maior parte das obras e coleções artísticas permaneceram no MNBA.  

Foi transferido para a ENBA a maioria dos documentos e as obras consideradas didáticas, além das que foram produzidas nas atividades práticas. Algumas coleções doadas à escola também foram transferidas.  

CRIAÇÃO DO MUSEU NACIONAL DE BELAS ARTES

Para a criação do MNBA foi levado em consideração as obras do acervo inicial do espaço (aquele trazido por Dom João VI em 1808). Foi através do decreto do Presidente Getúlio Vargas, que o então ministro da Educação do país, Gustavo Capanema decidiu em janeiro de 1937, criar o Museu Nacional de Belas Artes.  

Este museu foi inaugurado em agosto de 1938. Funciona em um espaço próprio e é uma instituição pública federal, vinculada ao Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM/MinC.  

DETALHES DO EDIFÍCIO DO MNBA

Com um estilo arquitetônico chamado eclético, o edifício foi projetado pelo arquiteto espanhol Adolfo Morales de los Rios e construído por Grandjean de Montigny, entre os anos de 1906 e 1908. O projeto contou com o trabalho e modificações de alguns outros artistas, inclusive o próprio diretor do espaço, naquela época.  

Possui influências europeias em toda a sua extensão, com muitas colunas, frontões, relevos, mosaicos e principalmente com alas que seguem o modelo do Museu do Louvre. A sua decoração interna utilizou materiais nobres, são eles: mármore, cristais e cerâmicas francesas, estatuários e mosaicos.  

O edifício do atual MNBA só foi tombado pelo Instituto Artístico Nacional (IPHAN) em maio de 1973. Somente em 2003 que o edifício passou a funcionar apenas e exclusivamente como museu.  

ACERVO DO MUSEU NACIONAL DE BELAS ARTES

O MNBA conta atualmente com um acervo que está composto por mais de 15.000 obras, incluindo as trazidas pela corte portuguesa e 1808.

Estão presentes as obras de pintura, desenhos e gravuras (brasileira e internacional), esculturas e gliptica, arte decorativa e mobiliário, além de obras de arte popular e arte africana 

Inicialmente o acervo em sua maioria era composto por obras da Academia Imperial e Escola Nacional de Belas Artes, dos artistas integrantes da Missão Francesa no país. 

Foram incorporando-se ao acervo obras dos séculos XIX e XX, de alunos e professores da academia, além das obras de muitos artistas brasileiros, principalmente modernistas.  

ACERVO BIBLIOGRÁFICO

Também existe um acervo bibliográfico (com biblioteca e mediateca) funcionando no MNBA. Este é especializado em artes plástica dos séculos XIX e XX.

Podem ser encontradas obras raras, como coleções de periódicos e catálogos de exposições, monografias, documentos e fotos da história da instituição e acervos pessoais de alguns artistas.  

DETALHE

– Podem ser realizadas pesquisas e consultas bibliográficas pelos leitores; e 

– Estão disponíveis consultas online do acervo (base de dados PHL), acesse: http://mnba.phlnet.net 

OUTRAS ÁREAS DO MNBA

No museu conta com áreas de exposição e reservas técnicas. Há um departamento de Conservação e Restauração que entre outras atividades, é responsável pelo acervo do museu.

Dentro do departamento de conservação está o laboratório de conservação e restauração (para pintura e papel) e o laboratório de escultura e moldura.  

O MNBA também é responsável pela promoção de diversas atividades voltadas à educação em Arte e Patrimônio Cultural. São realizadas visitas guiadas às galerias de Arte Brasileira do Século XIX e de Arte Brasileira Moderna e Contemporânea. 

educacao-mnba

Além disso, são promovidas atividades de interação e criatividade a partir de obras selecionadas do acervo e cursos de História da Arte.  

Muito interessante, não é? Não perca a oportunidade de conhecer o Museu Nacional de Belas Artes na cidade!  

Compartilhar: Facebook Twitter Google