• en
  • es

Biblioteca Nacional no Rio de Janeiro – leia tudo sobre

Biblioteca Nacional no Rio de Janeiro – leia tudo sobre

BIBLIOTECA NACIONAL DO BRASIL: UMA DAS MAIORES DO MUNDO!

Considerada pela UNESCO uma das maiores bibliotecas do mundo, a Biblioteca Nacional do Brasil é também a maior biblioteca da América Latina. Está localizada no centro da cidade do Rio de Janeiro. Toda essa grandiosidade da história e arquitetura está muito perto de você! Descubra todos os detalhes deste espaço.  

VAMOS COMEÇAR COM UMA BOA DICA

A Biblioteca Nacional oferece visitas guiadas gratuitas. Você também pode ter acesso a algumas salas do 2º e 3º andar da biblioteca. Veja os detalhes:

Dias e Horário de funcionamento

Salões de leitura e pesquisa – segunda a sexta-feira, das 9h às 19h; sábados, das 10h30 às 15h.

Visitação – segunda a sexta-feira, das 10h às 17h.

ATENÇÃO

A Biblioteca Nacional suspendeu as visitas guiadas por tempo indeterminado, assim como o funcionamento aos sábados. Essas medidas foram tomadas pela direção da instituição como prevenção contra a disseminação do coronavírus.

BIBLIOTECA NACIONAL

Para sermos mais exatos, o núcleo da Biblioteca Nacional do Brasil tem origem na antiga livraria de Dom José, organizada e inspirada por Diogo Barbosa Machado, que era o Abade de Santo Adrião de Sever 

O acervo substituiu a antiga Real Livraria ou Real Biblioteca (considerada uma das mais importantes na Europa) que foi montada originalmente pelas coleções de livros do Dom João I e posteriormente pelas coleções do filho, Dom Duarte. Tais coleções foram consumidas por um incêndio causado depois que um terremoto atingiu Lisboa no dia 1º de novembro de 1755.   

Com o intuito de recomposição da Real Biblioteca, foram resgatadas as peças que haviam sobrevivido ao incêndio no Palácio da Ajuda, onde seria uma nova biblioteca. Em 1807, o novo acervo já contava com 70 mil peças. Esse foi o acervo trazido para o Brasil.  

IMPORTANTE EVENTO HISTÓRICO

Temendo a invasão de Napoleão Bonaparte ao território Português, o príncipe regente Dom João VI tomou a decisão de partir rumo ao Brasil. Assim, começa a história da Biblioteca Nacional do Brasil. O acervo trazido contava com cerca de 60 mil obras incluindo manuscritos, mapas, medalhas e moedas entre outras peças.  

historia-de-Río-embarque-de-la-familia-real

Inicialmente a biblioteca foi instalada nas salas superiores do Hospital da Ordem Terceira do Carmo (próximo ao Paço Imperial). Porém, as instalações foram consideradas inadequadas, para peças tão valiosas.

No dia 29 de outubro de 1810, Dom João VI editou o decreto de construção da Real Biblioteca no local onde havia servido de catacumbas aos religiosos do Carmo. Todo o custo da obra foi de responsabilidade da Real Fazenda.  

OBRAS DA REAL BIBLIOTECA

O processo de instalação dos livros foi iniciado em 1810, sendo uma parte transferida no mesmo ano e as outras em 1811. Somente em 1813 começaram as obras de construção da nova biblioteca, quando também foi transferido o acervo.

A consulta do acervo só estava permitida aos estudiosos, mediante autorização régia. Com o término da instalação do acervo em 1814, a consulta foi aberta ao público e foi oficializada a Real Biblioteca.  

Continuamente o acervo da biblioteca aumentou através de doações e compras. O método das “propinas” também foi interessante para biblioteca. Nesse sistema, era obrigatória a entrega de um exemplar de todo material impresso nas oficinas tipográficas de Portugal (através do alvará de 12 de setembro de 1805) e na Impressão Régia, que funcionava no Rio de Janeiro.  

DETALHE

O Decreto nº 1.825, de 20 de dezembro de 1907, é chamado de Depósito Legal e ainda está em vigor. Por isso, ainda todo material produzido em território nacional deve ter uma cópia legal na Biblioteca Nacional do Brasil. 

MUDANÇA DE REINADO

Após a morte de Maria I, mãe de Dom João VI, ele foi responsável pela coroa até 1821 quando retornou a Portugal. Seu filho Dom Pedro de Alcântara, no entanto ficou no Brasil e em 1822, Dom Pedro proclamou a Independência do Brasil, tornando-se o primeiro Imperador do Brasil.  

independencia-brasil-inteira

A Real Biblioteca permaneceu no Brasil, por isso foi realizada a compra da biblioteca, e a instituição passou a pertencer ao Império Brasileiro. Por todos os bens deixados no Brasil, a família real portuguesa recebeu uma grande soma de dinheiro por indenização. A Real Biblioteca passou a se chamar então Biblioteca Imperial e Pública da Corte.  

MUDANÇA DE ENDEREÇO

No ano de 1858, a biblioteca foi transferida para a Rua do Passeio, no número 60. O prédio que recebeu a biblioteca atualmente abriga a Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro. A mudança se deu para um edifício que pudesse receber melhor o seu acervo que continuava a crescer. Era sabido que logo seria necessária uma nova mudança para um espaço maior. 

OUTRO MOMENTO NA HISTÓRIA DO BRASIL

Já no cenário de república no Brasil, foi realizado um projeto de construção de uma sede para a Biblioteca Nacional do Brasil e que atendesse suas necessidades com as crescentes coleções.

O atual prédio da biblioteca teve sua pedra fundamental lançada no dia 15 de agosto de 1905 e sua inauguração se deu no dia 29 de outubro de 1910. O edifício é assinado pelo engenheiro militar Sousa Aguiar e possui estilo arquitetônico eclético com elementos neoclássicos e Art Nouveau. 

biblioteca national antiga

Quer entender melhor a história do Brasil? Participe do nosso Walking Tour Centro e Lapa. Você saberá mais detalhes da história do país e a Biblioteca Nacional do Brasil é um dos pontos no nosso roteiro!   

OFICIALMENTE FUNDAÇÃO

No ano de 1990 a Biblioteca Nacional do Brasil foi transformada em fundação de direito público. Passou a ser chamada oficialmente de Fundação da Biblioteca Nacional e tem vínculo com o Ministério da Cultura. A biblioteca acabou tomando as funções do Instituto Nacional do Livro (INL) que foi extinto no mesmo ano. Com tudo isso podemos entender a grandiosidade dessa instituição!  

LOCALIZAÇÃO

A Biblioteca Nacional está localizada na Praça Cinelândia, na Avenida Rio Branco, nº 219 no centro do Rio de Janeiro. Outros grandiosos edifícios próximos a Biblioteca Nacional, entre eles o Theatro Municipal e o Museu Nacional de Belas Artes.  

centro-de-rio-de-janeiro

Não sabe como chegar na Praça Cinelândia? Leia nosso post sobre o Transporte Público no Rio de Janeiro e descubra como é fácil se locomover pela cidade!  

OUTROS MOMENTOS DA BIBLIOTECA

O edifício da Biblioteca Nacional passou por algumas reformas no intuito de atender as demandas de pesquisas e atividades oferecidas aos pesquisadores.

A importância do conjunto bibliográfico também demandou a busca por métodos tecnológicos principalmente para a segurança e preservação das obras. Além disso foram desenvolvidas tecnologias para a catalogação e a classificação do acervo, que garante ao acesso facilitado ao público.  

CONEXÕES

A Biblioteca Nacional como instituição mantém relação com organizações internacionais para a promoção e divulgação de obras e autores brasileiros, devido a sua imensa coleção nos mais variados temas. Com isso é possível acessar as obras desejadas através do centro nacional de informações bibliográficas documentais, tanto do Brasil quanto no exterior.  

HEMEROTECA

Outro importante meio de acesso ao público é através da Hemeroteca Digital que é um portal de consulta pela internet. Nesse portal estão disponíveis periódicos nacionais e outras publicações. Incluem desde os primeiros jornais criados no país, até os periódicos já extintos.

DICA

Você sabia que existe outra biblioteca no edifício sede da Biblioteca Nacional? Sim, é a Biblioteca Euclides da Cunha. Esta é dedicada ao público infanto-juvenil.  

A COLEÇÃO DE DOM PEDRO II

Sabemos que a família real portuguesa era bem a favor das ciências e artes em geral. O segundo monarca brasileiro, Dom Pedro II, não ficava atrás. Um grande entusiasta da fotografia, é considerado o primeiro fotógrafo brasileiro. Com sua paixão pela fotografia, foi importante para o desenvolvimento da fotografia no país. 

Com a Proclamação da República em 1889, e tendo que deixar o país, Dom Pedro II doou sua coleção com cerca de 25 mil fotografias a Biblioteca Nacional, juntamente com alguns livros. A coleção está denominada Coleção Dona Theresa Christina Maria. Sendo uma das mais diversificadas e preciosas coleções de fotografia brasileira de um particular.  

Super interessante a história da Biblioteca Nacional, não é? Visite o site da Biblioteca Nacional 

Compartilhar: Facebook Twitter Google